terça-feira, 11 de setembro de 2007

Aflição

Hoje quero falar sobre a aflição, esse sentimento tão ambivalente. É algo muito presente para mim neste momento, mas nem por isso acho fácil dizer se gosto ou não de estar aflito.

Pois a aflição é o remédio para a estagnação. Nos proporciona um motivo para querer ser mais felizes. Mas o preço é alto. Aflição é a sensação de que "não está certo". No fundo, é o que nos move e motiva, aquele "sopro" de saber que mudanças na situação atual são sim possíveis e desejáveis, é a força que nos impede de estar sempre submissos e conformados.

E é também um dos principais motivos por que é tão difícil reconhecer o que é "bom" ou "mau" em situações concretas. Pois por si só, a aflição é um tormento - e no entanto, acontece com frequência de ser "ouvindo" esse tormento e agindo de acordo com ele que se alcança as verdadeiras soluções.

Aflição é sempre uma agressão, uma violência. E como toda agressão, tem o propósito de provocar tranquilidade. Aflição nada mais é do que a vontade de resolver o conflito entre o mundo como ele existe e o mundo como desejamos que ele fosse. Tentar reprimi-la não adianta, e de fato complica a situação, pois só ajuda a tornar mais clara e presente a existência desse conflito.

Aflição se vive, se sublima ou se atende, mas não se pode "vencê-la". Oh, não. Não faz sentido algum querer vencer uma aflição. Podemos tentar conviver bem com ela, mas essa é uma estratégia muito sofrida. No fundo não é mais do que um medo masoquista de viver mudanças. Ou podemos em vez disso abraçar a aflição, resolvê-la, aceitar o desafio que ela nos traz com o coração aberto; por último, também é possível que em algum momento percebamos que não temos os meios de resolvê-la nem no presente nem no futuro, a não ser que façamos dessa aflição parte de nós, que nos deixemos marcar de forma permanente por ela.

As aflições sempre nos mudam, a não ser quando conseguem mudar em vez disso o mundo à nossa volta. São elas as tendências kármicas que constroem no Samsara, e é por esse motivo que para trilhar um caminho espiritual precisamos alcançar um mínimo de serenidade, resolver nossas aflições.


por Rafael Soares

Nenhum comentário: