segunda-feira, 27 de agosto de 2007

O Gênio da Alquimia





















Considero que, no trabalho esotérico, fabricar um centro da gravidade permanente realmente não é tudo. Precisamos de algo mais...

Se alguém quiser adquirir o direito de viver em qualquer planeta do sistema solar, se alguém quiser viajar pelos mundos que constituem o sistema solar, deve trabalhar no sentido de criar os Corpos Existenciais Superiores do Ser, isto é, criar os corpos planetários dentro de si próprio.

Quando alguém quer fabricar o Corpo Astral, precisa forçosamente trabalhar no Nona Esfera. Que é a Nona Esfera? Todo estudante esoterista sabe que a Nona Esfera é o sexo e tem sua correspondência com o centro da Terra. No centro da Terra, está o Santo Oito colocado de forma horizontal; ele é de ouro puro. Ali encontramos o cérebro, o coração e o sexo do gênio planetário: Melquisedeque. Todas as forças que fluem neste planeta estão orientadas de acordo com o Santo Oito.

O ser humano tem cérebro, coração e sexo. A luta é terrível: cérebro contra sexo e sexo contra cérebro.

Quando o sexo vence o cérebro, a estrela de cinco pontas, que é o ser humano, cai de cabeça para baixo.

Precisamos transmutar a energia criadora, para formar os Corpos Existenciais Superiores do Ser. O esperma sagrado é chamado de azougue na alquimia, o mineral em forma bruta; a partir dele se consegue fabricar o Mercúrio da Filosofia Secreta.

O mercúrio é a alma metálica do esperma sagrado. Para fabricar esse mercúrio, faz-se indispensável a NÃO EJACULAÇÃO DO ENS SEMINIS, isto é, da ENTIDADE DO SÊMEN; o desejo refreado transmuta o esperma sagrado em energia criadora. Esta energia é o famoso Mercúrio dos Sábios.

O mercúrio, ou água mercurial, é visível para o sentido da auto-observação psicológica. Inquestionavelmente, esse sentido também recebe o nome de clarividência.

A água mercurial no princípio é negra, mas quando se refina através do Sacramento da Igreja de Roma, isto é, através do Sacramento do Amor, torna-se branca.

Se continuamos refinando, através do Sacramento da Igreja de Roma, através da cúpula química e metafísica, está água mercurial torna-se amarela. Se continuamos o trabalho místico, tal água amarela ou mercúrio propriamente dito recebe o enxofre. O enxofre é o Fogo .

Quando o Fogo Sagrado desperta, o enxofre se liberta da cápsula onde estava encerrado e se mistura com o mercúrio, formando um remoinho de forças que sobem pelo canal medular da espinha. O enxofre (fogo) e o mercúrio (água) são o vitríolo dos sábios.

O azougue deve subir pela espinha dorsal até o cérebro. O excedente desse azougue ou vitríolo dever se cristalizar, mediante a lei da oitavas, em um corpo astral, pode-se viajar por todo o planeta e pelo sistema solar. Muito mais tarde no tempo, esse mercúrio irá se cristalizar, mediante uma oitava superior, em um corpo mental. O corpo mental captura toda a sabedoria da natureza. Por último, temos que esse mercúrio se cristaliza tomando a forma do corpo causal ou corpo da vontade consciente.

Quando alguém tem os corpos astral, mental e causal adquire o direito de receber os princípios anímicos e espirituais do Ser, convertendo-se em um homem real. Ele criou dentro de si um sistema solar, mas ainda não é um Homem Solar, simplesmente é um Homem, porque tem os Corpos Existenciais Superiores do Ser.

Se esse Homem quiser progredir mais e se converter em Homem Solar, forçosamente terá de formar o sol psicológico dentro de si, assim como precisou, para criar um sistema solar, fabricar os planetas psicológicos representados pelos Corpos Existenciais Superiores do Ser.

Se queremos nos converter em homens solares, temos que fabricar o sol psicológico em nós mesmos. Para conseguir isto, precisamos nos integrar com o Logos.

Um códice muito antigo diz que: Os Deuses criaram os homens de madeira e, depois de havê-los criado, uniram-nos com a divindade. Em seguida acrescenta: Nem todos os homens conseguem se unir à Divindade.

Se os homens querem se converter em homens solares, terão de se unir com a divindade. Só conseguem se converter em homens solares aqueles que alcançam fixar o Ouro nos corpos existenciais. Se eliminamos a totalidade dos elementos indesejáveis da nossa psique, os defeitos que possuímos, então os corpos existenciais convertem-se em veículos de ouro da melhor qualidade, ouro real, ouro verdadeiro.

O esperma sagrado de um Jesus de Nazaré ou de um Hermes Trismegisto, ainda que você, querido leitor, não acredite, é de ouro, leva ouro, ouro puro da melhor qualidade. Homens desta estatura já têm o Exiohehari (energia criadora) convertido em ouro. Homens da estatura de Quetzalcóatl, de Gautama o Buda Sakiamuny, etc., que transmutaram em seus corpos existenciais o esperma em ouro puro, obviamente têm o Cristo, o Verbo, a Palavra, o Logos, o próprio Deus, em seu interior.

Portanto, uma criatura assim é um homem solar, unido à divindade solar.

A história fala-nos de muitas divindades solares, gente que possui os corpos de ouro puro. Fala-se de homens solares porque eles fabricaram o sol dentro de si. Um homem que fabricou seus corpos existenciais e quer se converter em homem solar tem de tornar a descer à Nona Esfera (magia sexual) para fabricar o ouro em seus corpos. Eles baixam em forma física. Com justa razão alguém disse: Sobe da terra ao céu e de novo volta a descer, assim os poderes de cima e de baixo venceram toda coisa finita e toda coisa infinita. Ali está a chave de todo poder.

Se um homem solar quiser se converter em homem galáctico, que deve fazer? Obviamente, terá de fabricar a galáxia psicológica dentro de si, terá de descer para trabalhar na Forja Acesa de Vulcano. Ali, nessa forja, fabricará a galáxia psicológica. É assim como obterá corpos galácticos e poderá viver na capital da galáxia, no sol central Sírio.

Ao redor de Sírio, giram milhões de constelações. Nossa galáxia é enorme e sua capital é Sírio. Ao redor do planeta Sírio gira uma lua cinco mil vezes mais densa que o chumbo. Se o sol central Sírio tem a energia para o supracéus de toda galáxia, não há dúvida que a lua que gira ao redor de Sírio tem a energia para as infradimensões da galáxia.

Tomar corpo físico em Sírio é para os Deuses; em Sírio não se dão corpos aos seres comuns e normais, somente aos Deuses.

Isto quer dizer que os habitantes de Sírio são todos Deuses. Seus corpos são relativamente pequenos, quando muito meio metro, são delgados e suas faculdades estão unidas às de seus Deuses.

Não cometeram o erro dos terrícolas de construir cidades. Na Terra tem-se essa ridícula tendência de todos se apinharem em urbes, em povoações. Nos planetas avançados não há cidades como no nosso. Os habitantes fizeram de Sírio uma enorme cidade, vivendo nos campos e nas montanhas. Cada casa tem seu jardim e sua horta onde cultivam os alimentos; não lhes agrada destruir árvores. Sírio tem mares enormes, imensos e profundos.

Em Sírio encontramos a Igreja Transcendida, como nós ,os gnósticos, a chamamos. Um maravilhoso caminho conduz-nos à Igreja Transcendida. De um lado, vê-se uma enorme rocha de um a dois milhões de metros de diâmetro. Dentro do templo reina uma temperatura deliciosa. As paredes são de cores branca e negra, representando a luta entre a luz e as trevas. Tem dois altares representando a dualidade da existência. Criaturas inefáveis de todo o Cosmos reúnem-se periodicamente em Sírio para celebrar isto que chamamos a Semana Santa, para reviver o drama cósmico. Isto é grandioso!

Portanto, para tomar corpo em Sírio, é preciso ter chegado à estatura de Homem Galáctico. Só assim se tem o direito de tomar corpo em Sírio. Este é o futuro que nos espera, àqueles que desejam percorrer este Caminho. As pessoas se entusiasmam muito no início, depois já não lhes interessa mais este caminho esotérico. Francamente, gostaria muito de encontrar todos vocês por lá. Muito me alegraria encontrá-los na Igreja Transcendida.

Em minhas viagens astrais, sinceramente, não me deixaram passar além de Sírio. Para poder passar além de Sírio, isto é, para poder sair desta galáxia, precisa-se fora de dúvida criar em si próprio o espaço infinito, que eu chamo Espaço de Einstein; um infinito psicológico. Se um Homem Galáctico quiser, por exemplo, viver em qualquer região do espaço infinito, se pretender sair desta galáxia, precisará forçosamente, descer outra vez à Nona Esfera, descer outra vez nos mundos infernais por um tempo, para trabalhar com os demônios afim de formar os corpos que permitam estar em espaços infinitos; precisará cristalizar em si mesmo um espaço infinito psicológico com atributos e qualidades psicológicas.

Qualquer criação é feita sexualmente. Tomem por exemplo uma flor; não pensem que surgiu assim do nada.

Obviamente, foi necessário o sexo para que surgisse. Todos os seus órgãos, tanto masculinos como femininos foram criados através do sexo.

A mesma coisa acontece com os animais e com o homem.

Assim, para criar um infinito psicológico, temos de descer à Forja dos Cíclopes (magia sexual). Criado o infinito psicológico, ganharemos o direito de sair da galáxia e viver em qualquer galáxia do infinito. Ninguém poderá sair da galáxia sem antes formar dentro de si um espaço psicológico infinito. Adquirido este direito, converte-se em Homem Intergaláctico. Ao chegarmos a estas alturas abrem-se dois caminhos diante de nós: submergir no seio do Eterno Pai Cósmico ou passar a outro infinito, a fim de se converter em habitante de todos os mundos, seguindo obviamente o caminho dos cosmocrátores ou criadores de mundos.
Falando agora na linguagem da PISTIS SOPHIA, direi que quem decide estas coisas é o Ancião dos Séculos, o Logos. Quem manda é o Velho dos Séculos. Com muito prazer me deixaria absorver no seio do Eterno Pai Cósmico Comum. Assim penso eu, porém ... o que diria o Ancião dos Dias?

Nenhum comentário: