sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Egoismo: Um mal terrivel!

O Egoísmo:


O egoísmo é o hábito ou a atitude de uma pessoa colocar seus interesses, opiniões, desejos, necessidades em primeiro lugar, em detrimento (ou não) do ambiente e das demais pessoas com que se relaciona. Neste sentido, é o antônimo de altruísmo.


Egoísmo e Egocentrismo

O egocentrismo caracteriza-se pela fantasia de imaginar que o mundo gira em torno de si, tomando o eu como referência para todas as relações e fatos. Uma pessoa egoísta pode não ser egocêntrica, uma vez que luta para fazer com que os fatos se amoldem a seus interesses. A pessoa egocêntrica é egoísta, no sentido de que não consegue imaginar que não seja ela a prioridade no mundo em que vive. O egocentrismo é próprio da infância, como passagem para que a criança possa aprender a noção de referência a partir do eu e então aprender a criar outras referências que não o si mesmo.

Natural ou Adquirido?

Há controvérsia se o egoísmo é uma característica natural humana ou se é um hábito adquirido, como um vício moral da pessoa. A psicologia do desenvolvimento observa que a infância se caracteriza pela passagem de uma atitude naturalmente egocêntrica - em que a criança tem por referência seu organismo e suas necessidades - para uma atitude social e interativa. Deste modo, o egoísmo seria a recusa da pessoa em deixar essa fase infantil, uma luta por manter viva a fantasia do egocentrismo. Naturalistas, como Richard Dawkins, postulam a base natural do egoísmo a partir da tendência dos replicadores do organismo se associarem apenas segundo o interesse de passar à próxima geração de organismos. É a hipótese do gene egoísta, ou seja, de que os mecanismos genéticos de reprodução agem com fins imediatos e egoístas. O altruísmo seria uma legitima construção cultural e humana.

o egoísmo é bom uma vez que traz para a sociedade o desenvolvimento, não podemos esperar que todos respeitem todos e sim impor respeito, para que todos possam viver sem culpa, a culpa é inimiga número um do egoismo, niguem deve viver esperando agradar mais aos outros do que a si mesmo, as pessoas que agradam aos outros podem querer retribuição e não a tendo acontece a culpa, só o egoísmo pode libertar.

"Fui, em momento passado, mas presente em coração, fiz sofrer, humilhei e destruí. Nem ao menos olhei nos olhos... estava absorto em meu objetivo, frio em minha decisão. Fiz esperar. Com o peso nas costas, os olhos brilhando de esperança e de felicidade. Apenas recusei, abandonei, nem sequer olhei nos olhos. Os olhos pequenos, simples e humildes, lacrimejaram e perderam a confiança e a esperança.

Humilhei, destruí."


Dentre os vícios, o que se pode considerar radical, temo-lo dito muitas vezes: é o egoísmo. Daí deriva todo mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos há egoísmo. Por mais que lhes deis combate, não chegareis a extirpá-los, enquanto não atacardes o mal pela raiz, enquanto não lhe houverdes destruído a causa. Tendam, pois, todos os esforços para esse efeito, porquanto aí é que está a verdadeira chaga da sociedade.

Quem quiser, desde esta vida, ir aproximando-se da perfeição moral, deve expurgar o seu coração de todo sentimento de egoísmo, visto ser o egoísmo incompatível com a justiça, o amor e a caridade. Ele neutraliza todas as outras qualidades.

  • O egoísmo é a fonte de todos os vícios,

  • como a caridade o é de todas as virtudes.

Destruir um e desenvolver a outra, tal deve ser o alvo de todos os esforços do homem, se quiser assegurar a sua felicidade neste mundo, tanto quanto no futuro.

Por ser inerente à espécie humana, mesmo assim, o egoísmo não constituirá sempre um obstáculo ao reinado do bem absoluto na Terra. É exato que no egoísmo tendes o vosso maior mal, porém ele se prende à inferioridade dos Espíritos encarnados na Terra e não à Humanidade mesma. Ora, depurando-se por encarnações sucessivas, os Espíritos se despojam do egoísmo, como de suas outras impurezas.

Há muito mais homens isento de egoísmo e praticante da caridade do que supondes. Apenas, não os conheceis, porque a virtude foge à viva claridade do dia. Desde que haja um, por que não haverá dez? Havendo dez, por que não haverá mil e assim por diante?

Longe de diminuir, o egoísmo cresce com a civilização, que, até, parece, o excita e mantém, tornando-se difícil imaginar como poderá a causa destruir o efeito. Porem, quanto maior é o mal, mais hediondo se torna. Era preciso que o egoísmo produzisse muito mal, para que compreensível se fizesse a necessidade de extirpá-lo. Os homens, quando se houverem despojado do egoísmo que os domina, viverão como irmãos, sem se fazerem mal algum, auxiliando-se reciprocamente, impelidos pelo sentimento mútuo da solidariedade. Então, o forte será o amparo e não o opressor do fraco e não mais serão vistos homens a quem falte o indispensável, porque todos praticarão a lei de justiça. Esse o reinado do bem, que os Espíritos estão incumbidos de preparar.


De todas as imperfeições humanas, o egoísmo é a mais difícil de desenraizar-se porque deriva da influência da matéria, influência de que o homem, ainda muito próximo de sua origem, não pôde libertar-se e para cujo entretenimento tudo concorre:

O egoísmo se enfraquecerá à proporção que a vida moral for predominante sobre a vida material e, sobretudo, com a compreensão, que o Espiritismo vos faculta, do vosso estado futuro, real e não desfigurado por ficções alegóricas. Quando, bem compreendido, se houver identificado com os costumes e as crenças, o Espiritismo transformará os hábitos, os usos, as relações sociais. O egoísmo assenta na importância da personalidade. Ora, o Espiritismo, bem compreendido, repito, mostra as coisas de tão alto que o sentimento da personalidade desaparece, de certo modo, diante da imensidade. Destruindo essa importância, ou, pelo menos, reduzindo-a às suas legítimas proporções, ele necessariamente combate o egoísmo.

O choque, que o homem experimenta, do egoísmo os outros é o que muitas vezes o faz egoísta, por sentir a necessidade de colocar-se na defensiva. Notando que os outros pensam em si próprios e não nele, ei-lo levado a ocupar-se consigo, mais do que com os outros. Sirva de base às instituições sociais, às relações legais de povo a povo e de homem a homem o princípio da caridade e da fraternidade e cada um pensará menos na sua pessoa, assim veja que outros nela pensam. Todos experimentarão a influência moralizadora do exemplo e do contacto.

Em face do atual extravasamento de egoísmo, grande virtude é verdadeiramente necessária, para que alguém renuncie à sua personalidade em proveito dos outros, que, de ordinário, absolutamente lhe não agradecem. Principalmente para os que possuem essa virtude, é que o reino dos céus se acha aberto. A esses, sobretudo, é que está reservada a felicidade dos eleitos, pois em verdade vos digo que, no dia da justiça, será posto de lado e sofrerá pelo abandono, em que se há de ver, todo aquele que em si somente houver pensado

Fundando-se o egoísmo no sentimento do interesse pessoal, bem difícil parece extirpá-lo inteiramente do coração humano. Mas, à medida que os homens se instruem acerca das coisas espirituais, menos valor dão às coisas materiais..

` O egoismo é mal , vivemo s em sociedade pensem nela como sendo vocês mesmos!


Um abraço, tou deixando um poema ae de egoismo como exemplo desse mal social

Rafael


Egoísmo

Não escrevo
Paro
Penso
Não sei que dizer
Não sei que escrever
As palavras não saem
Estou mudo na escrita
Sem saber
Sem querer
Cá estou
Na caneta
No papel
Na alma

Sou som
Sou visão
Sou a onda do mar que se desmancha na areia
Sou luz
Sou escuridão
E penso
E hesito
Não escrevo

Paro
Nada sai
Nada escrevo
Perco-me naquilo que não sei dizer
Naquilo que quero dizer mas não sai
Sou alma
Penso em ti
Paro
Suspiro
Não escrevo

Sou saudade
Sou sonho
Penso em ti
Em como te vejo com os olhos fechados
E continuo
Sem escrever
Sem dizer
Não sei
Não digo

Paro
Penso em ti
Sonho
Toco em ti sem aqui estares
Estou confuso
Sou confusão
Sou tranquilidade
Sou lembrança
Sou o papel e a caneta
E penso em ti
Naquilo que somos
Naquilo que não escrevo

Tu és
Eu sou
E não sei
Não digo
Não sei que escrever
E avanço
Recuo
Paro
E chego a um ponto que não sei que mais escrever
E penso em ti

Escrevo
Paro
Não sei
Não digo
É só meu

Nenhum comentário: